CENTENÁRIO: JOSÉ GERALDO RODRIGUES DE ALCKMIN

SÉRIE BARÃO DE RAMALHO

Veja o sumário em .pdf

Compre aqui seu exemplar do livro. R$ 54,00

*FRETE PARA TODO BRASIL INCLUSO

Coordenadores:
Ricardo Lewandowski
Arnoldo Wald
Ives Gandra da Silva Martins
José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro

Introdução:
Ricardo Lewandowski
Arnoldo Wald
Ives Gandra da Silva Martins
José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro

Prefácio:
Geraldo Alckmin

Apresentação:
José Eduardo Rangel de Alckmin

Autores:
André Ramos Tavares | Arnoldo Wald | Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz | Carlos Mário da Silva Velloso | Cláudio Lembo | Dínio de Santis Garcia | Francisco Rezek | Gilmar Mendes | Ives Gandra da Silva Martins | José Antonio Dias Toffoli | José Carlos Moreira Alves | José Néri da Silveira | José Renato Nalini | Maria Garcia | Ney Prado | Pedro Gordilho | Roberto Rosas | Ruy Martins Altenfelder Silva | Sérgio Ferraz | Young da Costa Manso

ISBN: 978-85-69419-05-1
1ª Edição | 2015

SÉRIE BARÃO DE RAMALHO

CENTENÁRIO:
JOSÉ GERALDO RODRIGUES DE ALCKMIN

Introdução:

O Ministro José Geraldo Rodrigues de Alckmin foi uma das mais notáveis figuras da magistratura brasileira no século XX e um dos mais dedicados operadores do Direito de nossa história. Dante Marcello Claramonte Gallian, alguns anos atrás, escreveu biografia sobre o ilustre Vice-presidente do Pretório Excelso, intitulado “Simplesmente Justo”. O título não poderia ter sido mais feliz e retrata seu perfil de magistrado e ser humano.

Alckmin sempre decidiu com justiça, tratando a todos com natural amabilidade, sem procurar aparecer, senão quando rigorosamente necessárias as suas manifestações, jamais desventrando o teor de suas decisões por antecipação ou mesmo depois, com o objetivo de agradar a mídia ou a quem quer que fosse.

Para ele, o juiz deveria falar apenas nos autos. Fora dos autos, agia como um ser humano comum, tratando a todos como por todos gostaria de ser tratado, com o respeito necessário e a cordialidade própria de caminheiros temporários pelas estradas da terra.

Não escondia, mas também não revelava, se fosse apenas para atender a curiosidade alheia, suas convicções permanentes, de amor a Deus, à família e a sua missão, na terra. Como magistrado, professor, orientador de pessoas, foi inspirador de obras que têm sido úteis para o país, como o Centro de Extensão Universitária, onde chegou a dar aulas inaugurais.

Tudo era tão natural em Alckmin que, por seu exemplo, falava mais do que por suas palavras, embora estas fossem sempre justas, adequadas ao assunto e corretíssimas.

Lembrava pensamento do famoso livro do fundador da Universidade de Navarra, São Josemaría Escrivá: “Frei Exemplo é o melhor pregador”. E, realmente, seu exemplo de seriedade, neutralidade e disponibilidade, para a família, amigos e pessoas que o procuravam jamais será esquecido. Aliás, foi o primeiro membro casado do Opus Dei no Brasil.

Sua trajetória é bastante conhecida, desde as origens, infância e juventude, colégio e estudos superiores na USP, assim como na vida de advogado e de juiz, passando, depois, a juiz de alçada, desembargador, corregedor e Ministro do STF e Vice-Presidente do STF, em todas as funções tendo sido exemplo a ser seguido por seus pares.

As sementes, que deixou na vida familiar, frutificaram na própria carreira de seus filhos, entre eles o ex-Ministro do Tribunal Superior Eleitoral, José Eduardo Rangel de Alckmin, brilhante intelectual, como desejaria o Ministro José Geraldo e sua esposa D. Anita, que sempre lhe deu o o apoio que lhe permitiu a inesquecível carreira.

O Governador de São Paulo, quando estudava medicina na USP, viveu aqueles seis anos na casa de seu tio, o Ministro Alckmin, a quem todos os sobrinhos chamavam carinhosamente de “Tio Zeca”.

Alckmin foi uma inteligência justa, dedicada a servir a Deus e aos homens e será lembrado, na história da magistratura brasileira, como um homem “Simplesmente Justo”.

José Geraldo Alckmin foi um autêntico “colecionador de alvoradas”, contrapondo-se a quem se intitulava “colecionador de crepúsculos” (Câmara Cascudo), pois suas alvoradas terminaram por auxiliar a descortinar um mundo melhor para o Direito no Brasil.

RICARDO LEWANDOWSKI
Presidente do Supremo Tribunal Federal.
Associado Honorário do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP.

ARNOLDO WALD
Associado Emérito do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS
Presidente do Colégio de Presidentes do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP

JOSÉ HORÁCIO HALFELD REZENDE RIBEIRO
Presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP